Análises PC Playstation Review Sem categoria Xbox

Hoje sim! O F1 2019 é mais rápido do que você… imaginava!

É comum quando o assunto se trata de automobilismo moderno observar uma divisão de opiniões que variam entre amor e ódio na Formula 1, para muitos o esporte vai muito além dos pilotos e continua firme,  já para outros, os bons tempos da categoria ficaram nos anos 70 e 80.

No universo dos video games, porém, esse assunto fica mais fácil de chegar em um consenso, existe uma diferença latente entre a experiência de assistir pilotos e ser tornar o piloto, mesmo que virtualmente. Afinal, para quem gosta de automobilismo, é inegável que a Formula 1 como categoria oferece uma experiência única e bastante icônica de pilotagem, mesmo que ao longo das décadas essa experiência tenha se transformado constantemente. Transformação essa que a Codemasters em uma década de desenvolvimento oficial da franquia de jogos da categoria tem reproduzido com excelência nos consoles e PC, e em sua edição de 2019 demonstra mais uma vez a evolução da categoria buscando agradar veteranos e novatos.

Buscando seguir a própria tendência que a Formula 1 criou para si mesma de tentar explicar o esporte com seriados e atividade digital de fácil acessibilidade, nesta avaliação, irei abordar os elementos de jogabilidade do F1 2019 buscando decifrar a sopa de letrinhas e o estado atual da categoria na qual o jogo compreende. O que talvez soe um pouco repetitivo para aqueles que acompanham fielmente a competição na vida real, mas torne mais fácil de entender para os curiosos que Formula 1 não é tão complexo quanto parece.

O milagre de tentar manter o carro intacto no circuito de Monaco

Oooh it’s a killing machine, it’s got everything!

Existem muitos elementos que fazem um carro de Formula 1 ser tão absurdo em suas capacidades, talvez o conhecimento popular pense imediatamente em alta velocidade, mas atualmente atingir 300km/h é algo que muitos carros de rua super esportivos conseguem fazer. O verdadeiro diferencial de um carro de Formula 1 de forma resumida está em sua aceleração, frenagem, aerodinâmica e eficiência energética. Para facilitar o entendimento de jogabilidade do F1 2019, irei descrever os pontos chaves do regulamento vigente da categoria presentes na experiência do jogo.

Desde 2014 o regulamento da FIA para a Formula 1 reconstruiu o sistema de motores completamente, inserindo a categoria no que conhecemos hoje como a Era Híbrida. Sim, os carros da Formula 1 hoje são híbridos, o que significa que parte do seu motor é mecânico, enquanto a outra parte é elétrica. Para ser mais específico, aproximadamente 80% da entrega energética vem da combustão de um motor V6 mecânico, os outros 20% vêm de um motor elétrico, ou seja, baterias.

A categoria também possui um sistema de pneus, que em 2019 foi consideravelmente simplificado. Existem 3 tipos de pneus para pista seca: Pneu macio que é identificado por uma faixa vermelha, pneu médio com uma faixa amarela e e pneu duro com uma faixa branca. Para pista molhada são 2 tipos: Pneu intermediário com uma faixa verde, e Pneu de chuva com uma faixa azul. Quanto mais macio o pneu, melhor será a aderência do carro na pista, porém menor sua durabilidade, ou seja, as escolhas dos pneus estão diretamente ligados com a estratégia de corrida.

O meticuloso desafio de manter a vida útil de todas as peças

Por fim, um elemento regulatório atual da Formula 1 que talvez passe despercebido para muitos que acompanham o campeonato real, mas que é bastante presente na experiência de jogo do F1 2019 são os elementos de durabilidade das peças. Certos componentes do carro são limitados em número de aquisição para a temporada. Por exemplo, a caixa de câmbio é limitada em até cinco volumes por carro para todas as corridas do ano, se uma equipe acaba utilizando mais de cinco no mesmo carro por qualquer motivo que seja, o piloto que dirige aquele carro será penalizado com redução de posições no grid de largada para cada nova troca. Ou seja, garantir que todas as peças restringidas por volumes irão durar seu tempo de vida programado é crucial para evitar prejuízos no campeonato.

Baby you can drive my car

Durante uma corrida no F1 2019, o jogador precisa se preocupar com uma série de elementos no carro, consequentemente muito do que define a dificuldade do jogo em si é o que o jogador escolhe deixar no modo automático, quanto mais assistências estiverem desligadas, mais complexo ficará guiar o carro, listarei com uma breve explicação cada assistência, e seu impacto na jogabilidade:

Freios – As transições de velocidade na Formula 1 são extremos, logo, é comum durante as corridas que o momento para começar a pisar no freio seja muito em cima da curva, para quem ainda está compreendendo a pista compreender o momento exato para iniciar a frenagem de cada curva é desafiante. Sendo assim,  assistência de freio pode ser ajustada para completa, parcial ou desligada.

Travamento de rodas – Se o jogador pressionar o pedal de freio com muita intensidade por um longo período, as rodas dianteiras do carro podem travar completamente, o que além de danificar severamente a durabilidade do pneu, fará com que o controle de direção do carro seja perdido momentaneamente. A assistência anti trava pode ser apenas ligada ou desligada completamente, se ligada, a roda nunca irá travar, independentemente do quão intensamente o pedal de freio seja pressionado, ou seja, exatamente como funciona os freios ABS de um carro de rua comum.

Um universo de operações em apenas um volante e dois pedais

Controle de tração – A intensidade com qual o jogador pressiona o acelerador do carro define a quantidade de energia que o motor irá distribuir para a transmissão das rodas, em marchas de baixa velocidade muita força na transmissão significa atingir uma rotação muito alta, o que fará as rodas traseiras perderem parcialmente sua tração com o asfalto e fazer o carro girar em torno do próprio eixo, causando perda de controle. A assistência de controle de tração garante que independente do quanto o jogador pressione o acelerador, a rotação do motor será sempre aproximadamente perto do limite da marcha vigente para que o carro não perca sua traseira, que pode ser configurado entre controle total, parcial ou desligado.

Caixa de marcha – Um carro de Formula 1 possui 8 marchas, cada marcha define a relação de rotação de motor com a velocidade máxima atingida, ou seja, quanto menor a velocidade do carro, menor a marcha. A medida que o carro vai adquirindo mais velocidade e o motor mais rotação, é necessário ir subindo para as marchas correspondentes afim de conter a rotação do motor, um controle incorreto das marchas pode acarretar em perda de aceleração ou desgaste intenso do motor. A assistência de marcha do F1 2019 permite que o jogador escolha entre marcha automática, manual ou manual com indicação da marcha correta, existe também a opção extra para os carros clássicos de definir o controle de marcha como manual com embreagem, fazendo com que seja necessário controlar também o pedal de embreagem do carro.

Controle de pit stop – Entrar e sair de um pit stop exige que o jogador respeite a velocidade máxima de 80km/h dentro da pit lane, ter uma resposta rápida de saída após liberação do carro, além de claro, também conseguir acertar o local correto do pit stop da sua equipe. Se o jogador desejar, é possível ativar a assistência de pit que fará o controle de entrada e velocidade máxima automáticos, separadamente também há a assistência de liberação do pit, onde o jogador pode definir se irá fazer o arranque do carro pra fora do pit manualmente ou não.

Controle de ERS – O sistema de recuperação de energia, ou ERS, é o grupo de componentes do carro responsáveis em recarregar as baterias elétricas, durante a corrida o ERS pode ser manipulado em diversos níveis para balancear entre recarregamento ou entrega de potência, ou seja, saber quando ativar cada modo é crucial para ter eficiência no que se deseja fazer durante a corrida. A assistência de ERS quando ativada, permite que o jogo julgue qual modo de ERS será aplicado de acordo com o que está acontecendo na corrida.

Tente guiar o carro em curvas de baixa velocidade após longas retas com pontos de frenagem insanos

É válido lembrar que ser capaz de jogar completamente sem assistências envolve bastante experiência com o jogo, a facilidade para lidar com cada um desses elementos também depende do método de controle escolhido, evidentemente jogar em volantes com feedback de força e pedais tornam muito mais fácil para o jogador sentir e controlar o que está acontecendo no carro. A recomendação para não tornar a experiência de jogo frustrante é tentar não cobrar demais de si mesmo e ir desligando cada assistência aos poucos conforme sente que o domínio de pilotagem vai melhorando, algo que até os próprios pilotos profissionais fazem quando estão se adaptando ao seus carros em simuladores.

I’m a shooting star, leaping through the sky

O modo carreira do F1 2019 é justamente o pilar central para quem deseja uma experiência single player. Nesse modo, o jogador cria um piloto e constrói sua carreira dentro do mundo do automobilismo, gerenciando não somente o piloto como também a equipe que faz parte.

Construção de avatar do modo carreira

Durante a passagem dos GPs do modo carreira o jogador vai adquirindo pontos de recurso, reputação e respeito. Os pontos de recurso são adquiridos baseado nas atividades de dados durante os treinos livres e a colocação final na classificação e corrida, eles permitem que o jogador invista na vasta quantidade de opções de pesquisa e desenvolvimento do carro, definidas por quatro categorias: Motor, aerodinâmica, chassi e durabilidade. 

Os pontos de reputação envolvem a performance do jogador na corrida baseado nas metas definidas pela equipe para a temporada, a reputação construída é também a barganha para adquirir contratos que exijam mais performance da equipe atual ou até mesmo para realizar transferências para equipes de maior performance.

Já os pontos de respeito afetam a forma como a imprensa e público enxergam sua atuação e postura como piloto. Esse respeito além de ser construído também pela performance e tempo de carreira na categoria, é principalmente moldado baseado na forma como o jogador responde as entrevistas ao longo dos GPs.

As inúmeras formas de evoluir seu carro com pontos de recurso

É também no modo carreira que o jogador precisa se preocupar com o tempo de vida de certos componentes do seu carro ao longo da temporada, sendo ao total são sete deles, cada um volume específico atribuído para a temporada. Uma pilotagem eficiente evita o desgaste excessivo destas peças, mas investir pontos de recursos na durabilidade delas também é crucial para não chegar no final da temporada recebendo inúmeras punições de posição no grid por causa de trocas de peças adicionais.

Uma grande novidade do F1 2019 é a inserção da categoria Formula 2 no seu catálogo, disponibilizando os carros, equipes e pilotos da temporada de 2018. O grande atrativo da F2 no jogo é justamente no modo carreira, três corridas com situações bem específicas são colocadas para o jogador, e uma narrativa apresentando dois pilotos rivais é construída, permitindo o jogador tomar escolhas e impactando seu valor na hora de fechar contrato com a sua equipe de escolha na Formula 1.

A muito bem vinda adição da Formula 2 se faz valer

Get ready ready ready for the weekend

Uma semana de Formula 1 envolve três tipos eventos: treino livre, treino classificatório e corrida, considerando que ocorrem três sessões de treino livre, cada semana de GP possui cinco eventos no total. Os eventos de treino livre são justamente onde é dada a oportunidade do jogador realizar as atividades de levantamento de dados e métricas do carro, que além de excelentes para praticar o traçado e dirigibilidade do circuito, concedem pontos de recursos para investimentos.

Os programas disponíveis durante os treinos livres

No total são seis tipos atividades que exigem do jogador diferentes tipos de preocupações durante o teste:

Aclimatação de traçado – O jogador terá que ao longo da volta conseguir seguir o traçado da pista passando por checkpoints que avaliam a precisão de encaixe com o traçado e a velocidade do carro, sempre mantendo um tempo mais rápido que o mínimo exigido.

Gerenciamento de pneus – Durante a volta será necessário garantir uma dirigibilidade que não desgaste excessivamente os pneus mas que também atinja a meta de tempo mínima. O segredo nesse tipo de atividade é depender menos da aderência do carro nas curvas de alta velocidade reduzindo levemente a velocidade, e nas entradas das curvas de baixa velocidade ser mais antecipado na entrada da zona de frenagem.

Gerenciamento de combustível – O que talvez considere o mais complexo de se executar, no teste de gerenciamento de combustível é necessário completar uma volta minimizando a queima de combustível do carro mas também atingindo a meta fornecida de tempo mínimo. Para se obter resultados significativos nesse teste, o truque é ser extremamente antecipado nas zonas de frenagem ao fim de retas, para ai então ao invés de reduzir a velocidade do carro com o freio, reduzir com a própria aerodinâmica e atrito do carro, diminuindo o tempo que o carro se mantém no pico de velocidade.

Gerenciamento de ERS – Para ter sucesso nesse teste é necessário saber controlar manualmente as configurações de ERS durante a volta respeitando a meta de recarga de bateria e de tempo mínimo.

Ritmo de qualificação – Esse é o teste onde o jogador precisa dar tudo de si na volta, o objetivo é atingir uma meta de tempo mínima ambiciosa tentando reproduzir o cenário do treino de classificação.

Estratégia de corrida – O jogador terá que dar de 3 a 5 voltas no circuito respeitando a meta mínima de tempo exigida para cada volta simulando um cenário de corrida.

Após a conclusão das três sessões de treino livre, o jogador será colocado para o treino classificatório, a dinâmica na qual esse treino ocorre depende de como foi feita a configuração da sessão, disponível em três modos: Longa, curta e volta única.

A sessão longa envolve o sistema de Q1, Q2 e Q3, em um tempo pré-definido para cada Q, os pilotos procuram dar suas melhores voltas no circuito, e ao final do tempo, os pilotos com os 5 piores tempos são desclassificados do próximo Q e suas posições do grid de largada definidas ali mesmo, dessa forma, ao chegar no Q3 apenas restará 10 pilotos, aquele que no final do Q3 fizer a melhor volta adquire a pole position, e larga no primeiro lugar do grid.

A sessão curta transforma o treino inteiro em uma estrutura de Q único, ou seja, ao fim dele as posições ali definidas reflete o grid de largada. Enquanto a sessão de volta única define o tempo de todos com uma única volta, considerando ainda que o jogador tem a liberdade de reiniciar a sessão quantas vezes quiser.

As cinco etapas de uma semana de Formula 1

Após todas essas etapas finalmente ocorre a corrida, onde o jogador irá realizar o procedimento de largada e correr até o fim. A duração da corrida também é configurável, podendo ser apenas 25% da duração da corrida oficial, 50% e 100%. Tenha em mente que 100% significa precisamente o mesmo número de voltas que a corrida real possui, ou seja, a duração também será aproximada, girando em torno de 90 a 110 minutos.

Don’t you know we’re riding with the king?

No F1 2017 a Codemasters introduziu a ideia de tornar jogável os carros das antigas temporadas da categoria, no F1 2019 porém a feature ganhou um considerável enfoque com a adição do showroom, que além de demonstrar os carros da temporada atual de Formula 1 e a temporada 2018 da Formula 2, também mostra um catálogo com 22 carros clássicos que variam desde a Lotus de 1972 até a Ferrari F10 de 2010. Cada carro possui uma descrição contando um pouco da história do modelo no seu ano de atividade, e todos os 22 carros são jogáveis em diversos modos, incluindo o modo carreira, onde ocorrem os eventos de apresentação com esses carros clássicos, em que o jogador ganha recursos extras ao participar dos mesmos.

Falando em clássicos, o F1 2019 dá um enfoque especial em sua edição lendária justamente aos dois grandes rivais do período 80-90 da Formula 1, Alain Prost e o eterno mestre Ayrton Senna, disponibilizando os carros, modelos, macacões, capacetes e inúmeros elementos distribuído no jogo que prestam homenagem aos dois pilotos.

“e hoje eu cheguei tão longe….vai ter que dar…..”

Para aqueles que apreciam um cenário competitivo, o F1 2019 tem um excelente ambiente multiplayer, onde é possível participar de várias atividades em comunidade e participar de competições que escalam para nível mundial. O jogo possui sua própria modalidade de E-sports conhecido como F1 E-Series, que já segue para sua terceira temporada e costuma lançar vários pilotos para o mercado real de automobilismo como aconteceu com o Brendon Leigh, campeão das duas últimas edições da E-Series.

A avaliação do F1 2019 foi feita em um Xbox One X e um PS4 Pro utilizando o volante Logitech G920 assim como os controles comuns de seus respectivos consoles, em ambas versões o upgrade gráfico em comparação com a edição do ano passado, especialmente no que se trata de pontos de luz e reflexão é bastante notável. A taxa de atualização de quadros se mostrou extremamente firme e nenhum problema de textura e física foi observado durante a avaliação do jogo, se mostrando tecnicamente bastante sólido no que se compromete entregar.

Engenheiro de software, baixista e entusiasta de um monte de coisa. Joga qualquer jogo desde que não seja sobre futebol.

Grazie ragazzi

O F1 2019 representa um bom passo na evolução da franquia, apesar de não oferecer nenhuma revolução no seu formato de jogabilidade, continua mantendo um consistente incremento de conteúdo ano a ano que garante uma excelente experiência tanto para fãs da categoria como para novas pessoas que querem conhecer o universo do automobilismo, entregando um jogo sólido e de qualidade.

9